PARKINSON

PARKINSON.jpg

A doença de Parkinson (DP) é uma doença degenerativa do sistema nervoso que ocorre pela diminuição da dopamina pela morte de neurônios dos gânglios da base e que leva a diversos sintomas motores (lentidão dos movimentos, tremores e rigidez ou instabilidade postural), alterações cognitivas e do sono, e em alguns casos sintomas psicóticos (alucinações e delírios) (SOUZA, 2011).

 

Por mais que sua etiologia seja idiopática, alguns pesquisadores acreditam que a DP pode surgir por conta de fatores ambientais, genéticos, estresse oxidativo, anormalidades mitocondriais e/ou alterações do envelhecimento, afetando a qualidade de vida tanto de quem a possui, como a de quem cuida dessas pessoas/familiares (SANTOS, 2019).

As doenças neurodegenerativas, até a data não têm cura. As terapêuticas atuais focam no tratamento dos sintomas e tentam atrasar a progressão das doenças. Demonstrou-se que a sinalização endocanabinóide é alterada em muitas destas doenças, portanto acredita-se que, a modulação do sistema endocanabinóide poderá ser uma alternativa útil no tratamento da neurodegeneração.
Diversos estudos mostram os efeitos terapêutico do Canabidiol (CBD) em relação a doença de Parkinson, incluindo efeitos anti-inflamatórios, anti-citotóxicos, antioxidantes, antipsicóticos e sedativos (SANTOS, 2019). O Canabidiol ou CBD, é um fitocanabinóide presente na planta Cannabis sativa, uma planta conhecida pelo homem há mais de 10.000 anos A. C.,